Em San Paolo, encontro sobre reforma e novas necessidades de migrantes

A crescente mobilidade dos seres humanos em todo o mundo levou a uma atitude radical Scalabrini Missionários de reforma dentro da Ordem para melhor atender às necessidades de migração de endereço e abrigo. As alterações entrarão em vigor em dezembro deste ano. A fim de continuar este processo, as Irmãs Scalabrinianas da Província de São Paulo encontrou no Centro Profissional São Carlos, na cidade de Aparecida-SP. O evento começou na tarde deste sábado dia 10 e terminou no dia 12.

De acordo com um relatório apresentado pelo chefe da missão da Província da irmã de St. Paul Janet Ferreira (Organização Internacional para as Migrações), América do Sul contém cerca de 5.826.400 imigrantes aqui para geográfica, ambiental, política e ditada pela crise atividade econômica global. os dados também revelam uma feminização da migração, uma vez que 50,9% dos deslocados são mulheres, seguido por 17,7% dos jovens com menos de 20 anos de idade e 16,5% daqueles com mais de 65 anos.

Os países da América Latina que receberam o maior número de migrantes são a Argentina, com 2 milhões, a Venezuela, 1,4 milhão, e o Brasil, com 713 mil emigrantes. Estes são de Haiti, Cuba, Venezuela, Equador, países africanos (Senegal, Congo, Angola, Moçambique, Nigéria, entre outros), Ásia do Sul e Sudeste (Bangladesh, Paquistão, Filipinas, Índia, Nepal) e Ásia Oriente Médio (Síria) Esses fluxos migratórios tendem a um crescimento sem precedentes na história. A Congregação é rápido para reorganizar em todas as suas dimensões (pastoral, formação, apostolado e administração), a fim de enfrentar os desafios que esta realidade ofertas.

Mas entrando em uma de um processo de reforma Histórico de pedidos 120 anos exige um monte de abertura por parte dos membros, uma paixão significativa para a missão, porque requer mudanças estruturais. A este respeito, a irmã Sandra Maria Pinheiro, Superior Provincial da Província de St. Paul, salientou que a reorganização da Congregação deve ser realizada como um movimento de renovação espiritual em vez de administrativa, com uma atitude de disponibilidade, um coração disponível para a busca da vontade de Deus e, pensando de volta para as estruturas para a missão.

Ainda de acordo com Pinheiro, esse processo de reorganização exige que todos tenham “uma aparência de girafa”. A girafa de pescoço grande pode olhar para cima e abrir-se para os horizontes. “Precisamos de um olhar que não exaure nosso pequeno mundo de medos e necessidades pessoais”, disse ele.

Para a irmã Sandra, reorganização “é uma oportunidade para reinventar a Vida Religiosa Consagrada para os nossos tempos, e assim recuperar o seu anúncio profético porque queremos servir mais e melhor para migrantes e refugiados.” Mesmo o conselheiro e para a formação e administração, Irmã Neuza Botelho dos Santos e Irmã Ana Conceição Sales, nno apresentou a estrada feita até agora nestas áreas, para a reorganização.

Presente em 27 países, os missionários scalabrinianos a intenção de reduzir o número de províncias, unificar os esforços em todos os setores para uma presença mais eficaz quando os fluxos migratórios são maiores. Estes dias eles se encontraram as irmãs pertencentes à Província de Aparecida, com com sede em São Paulo, que será incorporado em uma unidade das três províncias existentes no Brasil a partir de dezembro de 2018.

Fonte: Imprensa Scalabriniana