O Serviço Itinerante, processo de reorganização da Congregação

O forte apelo do Papa Francisco ressoa em nossos corações por ocasião da celebração do Dia Mundial dos Migrantes e dos Refugiados de 2018. Os migrantes são hoje uma realidade cada vez mais presente em nossas vidas, na sociedade e na vida da Igreja. Impossível não admitir isso. Conflitos armados, guerras, desastres naturais forçam muitos homens, mulheres e crianças a deixar suas terras simplesmente para sobreviver. Aceitar assim torna-se um imperativo cristão que não podemos ignorar, mas precisamos ir além, precisamos nos acolher, promover e integrar, lembrando que por trás dos números há pessoas que vivem dramas e sofrimentos, que nos chamam e pedem nossa atenção. Como Irmãs Missionárias Scalabrinianas, o convite a estar com migrantes e refugiados, especialmente aqueles que vivem em situações de maior vulnerabilidade, não é uma opção; é para cada um de nós um dever, uma oportunidade privilegiada de viver e expressar a missão específica que Deus nos confiou.

Os desafios da migração estão muito além das nossas possibilidades. Mas estes são multiplicados se olharmos com generosidade, em vez de nossas possibilidades, para as necessidades dos migrantes.

O Serviço Itinerante, no processo de reorganização interna da Congregação, tem como objetivo promover um novo modo de presença, ação e experiência do carisma scalabriniano. Para avançar nesse processo, a Comissão Preparatória do Serviço Itinerante reuniu-se em Roma de 22 a 27 de janeiro de 2018, juntamente com o Governo Geral, para dar continuidade ao processo de reflexão e planejamento deste projeto e elaborar uma proposta de preparação. específico para as irmãs, de modo a qualificar nossa implementação com os migrantes e refugiados, que são para nós o rosto vivo de Jesus.

Queremos compartilhar com você o trabalho realizado nestes dias e dar algumas indicações sobre os próximos passos a serem feitos, para finalmente iniciar o Serviço Itinerante:

· Elaboração final do regulamento “ad experimentum”, integrando todas as contribuições recebidas dos governos provinciais, com base na reflexão que lhes foi solicitada:

· Extensa reflexão sobre a realidade migratória atual. Neste contexto, identificamos possíveis lugares onde o Serviço Itinerante é mais solicitado pelo clamor dos migrantes e onde a Congregação pode estabelecer acordos de parceria com outras instituições. Inicialmente, pensamos em países como: Nigéria, Indonésia, Índia, a fronteira entre a República Democrática do Congo e Angola, México, o êxodo dos venezuelanos (Roraima-Brasil e possivelmente em outros países) Lesbos-Grécia;

· Encontro e diálogo com os representantes dos Fundamentos das Irmãs do Bom Pastor e dos Irmãos Maristas para conhecer seu trabalho, como apoiam seus serviços congregacionais e compartilhar suas experiências na busca de recursos para a realização de seus projetos missionários. . Essas experiências são preciosas para nós na medida em que nos mostram maneiras possíveis de buscar ajuda para a realização do Serviço Itinerante.

· Reflexão sobre alguns possíveis métodos de preparação específica das irmãs, elaborando um plano que terá duas etapas:

1º curso on-line com tópicos que serão desenvolvidos por especialistas durante algumas sessões de estudo; aprendizagem de línguas, tanto no país de residência como de forma intensiva em vários outros países; experiências dentro das instituições que podem enriquecer a implementação das Irmãs no Serviço Itinerante

2ª- Uma reunião residencial: está prevista a realização de uma curta etapa intensiva com a participação de um grupo de freiras. Durante esta reunião, juntamente com a contribuição de consultores especializados, haverá a troca de experiências e o aprofundamento dos temas de estudo.

 

O Serviço Itinerante quer ser um ícone visível da fé das Irmãs Missionárias Scalabrinianas, expressando o amor de Deus ea decisão professou publicamente a dar a vida no serviço evangélico e missionário dos migrantes e refugiados. Com alegria, podemos dizer que temos uma absorção significativa de freiras que se inscreveram, bem, como muitos outros que suportam este serviço, isso mostra como o espírito missionário está vivo nos corações das irmãs e da Congregação.

Seja na África, na Ásia, na América ou na Europa, o Serviço Itinerante estará presente em nome de cada Irmã da Congregação das Irmãs Missionárias Scalabrinianas. Especialmente aqueles que estão presentes nas várias missões, como aquelas que, através da oração que oferecem seus sacrifícios e dor e cansaço, todos participando na missão de acolher, proteger, promover e integrar os migrantes e refugiados que Deus nos confiou.

O trabalho que a comissão realizou até agora é, sem dúvida, incompleto, pois ainda estamos em fase de construção. Somos motivados pela convicção de que “ao longo do caminho” o processo contribuirá para melhorar e adaptar o Serviço às circunstâncias dos tempos e lugares. Em qualquer caso, nos atrevemos a começar, a partir, como “Igreja cessante”, em direção a migrantes e refugiados.

Consideramos muito importante a reunião do Superior Geral e do Conselho com os governos provinciais Congregação, a ser realizada em Chicago em abril de 2018, quando será estudado, analisado e tomado a decisão tendo em vista a realização das atividades.

Agradecemos a todas as irmãs e jovens em formação que rezam e apoiam a implementação desta proposta aprovada pela IX Assembléia Geral da Congregação (2016), relativa ao Serviço Itinerante MSCS. Nossas irmãs que já estão no céu nos ajudam a sermos sempre mais missionárias e audazes testemunhas do amor de Deus, com migrantes e refugiados.

Por intercessão do bem-aventurado João Batista Scalabrini, a Santíssima Assunta Marchetti e do Venerável Servo de Deus Giuseppe Marchetti contamos com esse processo para o Senhor, pedindo para fortalecer o nosso caminho, a fim de dar respostas novas e mais e mais adequadas aos apelos de nossos irmãos migrantes e refugiados.